Informativo
  • Coleta Seletiva tem novo roteiro na Área ContinentalAfim de aprimorar o recolhimento de material reciclável nos bairros da Área Continental, a Codesavi implantou um novo roteiro da Coleta Seletiva nesta região de São Vicente. Com o novo cronograma, [...]
  • Cata TrecoRetiramos também restos de reformas caseiras. Máximo de 4 sacos (1 metro cúbico) [...]
  • MultaO descarte irregular de lixo ou entulho pode resultar em multa de até R$ 1 mil. Em casos de resíduos da Construção Civil (RCC), o valor pode chegar a R$ [...]

Rosa dá o tom da necessidade do autoexame

Artigo   0 Comentário
Espaçamento entre linhas+- ATamanho da Fonte+- Imprimir este artigo
Rosa dá o tom da necessidade do autoexame

Uma manhã para lembrar a importância dos exames para identificar males como o câncer. Assim começou nesta segunda-feira o mês na Codesavi, com a iniciativa Outubro Rosa – Uma campanha para tocar no fundo do peito. Mulheres e homens compareceram à sede vestidos com camisa cor de rosa e participaram de um café da manhã que lembrou a necessidade de um diagnóstico precoce para a luta contra o câncer. O recado era: mamografias e autoexames devem fazer parte da rotina feminina.

A primeira-dama de São Vicente, Andrea Gouvêa, destacou a importância de as mulheres fazerem o exame. “Todo mundo conhece alguém que passou por essa situação. E, nesses casos, há duas escolhas a serem feitas: se entregar ou querer viver”.

A presidente do Fundo Social de Solidariedade de São Vicente comentou também o fato de muitas mulheres acabarem esquecendo dos exames de detecção por estarem sempre “pensando em cuidar dos outros”.

Andrea Gouvêa ainda citou  que no próximo mês é a vez de todos vestirem azul para lembrarem a necessidade de conscientização do câncer de próstata.

O presidente da Codesavi, Ricardo Hourneaux de Moura, disse que se sentia “honrado e orgulhoso” por participar do evento, por ter duas filhas. “Iniciativas como esta são muito importante porque as mulheres mostram a importância de se fazer o exame”.

Idealizadora do café da manhã, a funcionária Pricila Príncipe fez um relato pessoal, lembrando que há 3 anos foi diagnosticada com câncer de mama e, “com fé em Deus”, venceu a batalha. “Eu não me cuidava. Cuidava dos outros, mas não me cuidava”.

Os seios são fontes de várias simbologias em diferentes culturas. A mama, contudo, adoece. O câncer é o mal que mais acomete essa glândula — 28% do total de tumores —, sendo o tipo que mais provoca a morte de mulheres no Brasil. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), a estimativa é de 60 mil novos casos por ano em mulheres cada vez mais jovens. Quanto mais cedo, porém, o diagnóstico, mais chances de cura. A entidade informa que, quando descoberto no início, há 95% de probabilidade de recuperação total.Rosa2

Artigo   0 Comentário